Fechar

Robert Bresson

Talvez o mais celebrado de todos os cineastas franceses, foi expoente do movimento minimalista e, pelo conjunto da obra, recebeu o prêmio René Clair da Academia Francesa em 1995. Responsável por obras-primas como O Processo de Joana d’Arc, Diário de um Padre e Mouchette (os dois últimos, adaptações de romances de Georges Bernanos), o diretor e roteirista católico de formação filosófica ficou conhecido como o “jansenista” da Sétima Arte. Sua influência é vista hoje sobre grandes diretores como o dinamarquês Lars von Trier.