Fechar

A Descida do Monte Tabor - Poemas

AUTOR:
Langone, Hugo

PREFÁCIO:
Fróes, Leonardo

Editora:
Filocalia

Gênero:
Literatura

Subgênero:
Poesia Brasileira

Formato:
14 x 21 cm

Número de Páginas:
72

Acabamento:
Brochura

ISBN:
978-65-88143-13-1

Ano:
2021
Tags:
literatura e poesia

A Descida do Monte Tabor - Poemas

R$54,90

CEP inválido! Verifique e tente novamente.


Sinopse

Nesta bela e cuidadosa obra, Hugo Langone nos presenteia com “mosaicos feitos com palavras”, conforme descreveu Leonardo Fróes no prefácio do livro. Langone traz aspectos e vestígios de pensamentos e flexões poéticas em uma obra una e concreta. São pensamentos esparsos, mas muitos bem alinhados, que configuram A Descida do Monte Tabor. Longe de ser uma mera reunião de poemas aleatórios, o autor trouxe uma narrativa da transfiguração, da visão divina que os três discípulos tiveram de Cristo. A Descida do Monte Tabor é o relato estético da visão divina transmitida após a ressurreição do Senhor.

Leia mais informações sobre o livro logo abaixo da seção "OBRAS RELACIONADAS"!

Leitores que compraram este livro se interessaram também por:

Mais obras de Hugo Langone

 

SOBRE O LIVRO

 
As influências são, ao mesmo tempo, claras e obscuras. São nítidas as influências de Adélia Prado e Santo Agostinho na obra de Hugo Langone. O autor não faz questão de esconder seus pressupostos, pelo contrário, deixa-os explícitos a todo instante, em cada estrofe de cada poema. Entretanto, curioso é o fato de que Langone tem algo próprio que, como descreveu Leonardo Fróes no prefácio da obra, mais se assemelha a um mosaico. Os diversos poemas com aparentes temas desconexos podem espantar um leitor desatento, mas o leitor perspicaz notará que as desconexões são, na verdade, pontes entre ideias.

A Descida do Monte Tabor é um livro de relatos poéticos. São descrições da visão divina dos três discípulos sobre a revelação especial que tiveram e que, na descida do monte, foram orientados a não a contar a ninguém até que o messias tivesse vencido a morte. Antes da ressurreição, antes da esperança, eles não deveriam falar sobre a visão que tiveram da transfiguração no Monte Tabor. Aquela era uma visão que testemunharia em favor não do Cristo presente, mas do Cristo vindouro. Não do Cristo profeta, mas do Cristo ressurreto.

O livro traz 27 poemas que abordam temas relativamente distintos, mas com uma matriz em comum: a beleza. É ela que fornece o caminho para Langone compor essa obra de rigor e criatividade ímpares. Não é um livro que te faça lembrar de outros autores, embora reflita muitos clássicos. A Descida do Monte Tabor, dentro de uma realidade de declínio cultural, traz uma originalidade impressionante. Não há uma ousadia métrica ou temática, mas uma ousadia própria de autores cristãos: a de manter a tradição em diálogo com o tempo presente. Langone não ousa inventar a roda, mas reutiliza a roda de formas criativas e necessárias para a compreensão do belo.

Curiosidades

 
• O livro enriquece uma seção do catálogo da editora destinada a recuperação e comentário dos clássicos fundantes de nossa tradição intelectual..

• Hugo Langone é um notório cultivador das letras clássicas, sendo um poeta elogiado e tradutor, para a É Realizações, de autores como Theodore Dalrymple, Roger Scruton, Mortimer J. Adler, Leo Strauss, Lionel Trilling, Bernard Lonergan e Marshall McLuhan. ilde;es e redescobertas religiosas, políticas e existenciais.


SUA LEITURA SERÁ ESPECIALMENTE PROVEITOSA PARA:

 
• Estudantes de Letras, Filosofia ou Teologia.

• Professores de literatura e poesia brasileira.

• Apreciadores da cultura clássica.